quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Dead Dreams


Ela era uma garota complicada que se aventurava em um mundo ilusório. Pegava carona em seu subconsciente e viajava loucamente para a cidade dos sonhos.
Logo era recepcionada por seu príncipe, e nesse reino das fantasias adorava ser chamada de princesa.
Sim, seus sonhos eram cheio de venustidade, sua esperança era frondosa, por conseguinte tinha expectativas impossíveis.
De sonhos ela vivia e com a decepção diariamente convivia, pois bastava ela acordar para se deparar com a monstruosidade da realidade. Com o tempo ela foi se frustrando, se aventurou com um falso príncipe e assim ignorava todos os outros rapazes com medo de eles serem apenas sapos.
Diante da falta de reciprocidade do mundo para com seus sonhos, constantemente reclamava da vida, pois ela queria acordar desse pesadelo real e voltar para seus sonhos ilusórios.
Ela apostava toda sua esperança no futuro, mesmo esse sendo incerto.
Suas expectativas começaram a perder a força, e naquele poço inesgotável de ilusões, seus sonhos se encontravam bem ao fundo.
Para ela uma vida sem sonhos era torturante, e diariamente ela começou a se torturar.
Ainda havia esperança, sim, ela esperava pelo seu príncipe que a faria protagonizar um conto de fadas, e com um beijo ressuscitaria todos aqueles sonhos perdidos com o tempo. Mas ela apostou todas as suas esperanças no tal futuro incerto, e em seu presente, agora ela era apenas uma princesa com sonhos mortos. 
                                                                                                                               - Betina Pilch.
Postar um comentário